Se você está pensando em cruzar a fronteira com o Paraguai, saiba que não é o único. Todos os dias, centenas de pessoas visitam o país vizinho, que é um dos maiores destinos de compras das Américas.

Mas antes de começar a sua viagem, trazemos uma série de dicas para lhe ajudar. Confira agora tudo o que você precisa saber para atravessar a fronteira com o Paraguai sem problemas.

Planejando cruzar a fronteira com o Paraguai

Saiba por onde atravessar

A fronteira com o Paraguai se estende pelos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. Algumas cidades têm vias de acesso terrestre ao país vizinho, como Ponta Porã, Bela Vista e Foz do Iguaçu. Mas a principal escolha para quem pretende cruzar a fronteira é Foz do Iguaçu, devido à proximidade com Ciudad del Este, uma das maiores zonas livres de impostos da América Latina.

Não esqueça seus documentos

Para atravessar a fronteira você precisará da sua carteira de identidade (RG) ou passaporte. Para seu RG ser aceito, ele precisa estar em boas condições, ter sido emitido a menos de 10 anos e sua foto deve identificá-lo facilmente. Outros tipos de documento, como carteiras de motorista, não serão aceitos.

Para a entrada de menores não emancipados é necessário o RG ou o passaporte e a companhia de um responsável. Em caso de ausência de um dos pais ou ambos, será preciso uma autorização original autenticada em cartório e assinada por ambos os responsáveis. Nela, deve constar a data de validade do documento e o destino da viagem.

É recomendável levar os comprovantes fiscais dos equipamentos que entrarão com você no país vizinho. Eles podem ser requeridos na alfândega brasileira durante o seu retorno.

Evite finais de semana

Se está atravessando a fronteira para fazer compras, saiba que a maioria das lojas em Ciudad del Este funcionam de segunda a sábado, das 6h às 16h. No domingo, praticamente todas estarão fechadas ou funcionando em horário reduzido. Já os sábados são os dias livres dos moradores da região e costumam ser os mais cheios na área comercial da cidade. Sendo assim, dê prioridade aos dias de semana.

Leve dinheiro em espécie

Você pode levar seu cartão de crédito internacional para as compras no Paraguai, mas isso pode lhe custar muito caro. Além do acréscimo de 6,38% do IOF (imposto cobrado por compras no exterior), muitas lojas cobram uma taxa extra para compras no cartão de crédito. E os comércios ainda farão a conversão de dólar para guarani (moeda local), o que pode aumentar o valor final na sua fatura.

Portanto, se for possível, cruze a fronteira com o Paraguai com dinheiro em espécie. Alguns lugares podem até oferecer descontos se você pagar com dinheiro vivo.

Real, Guarani ou Dólar?

Em Ciudad del Este os comerciantes aceitam pagamentos com as três moedas, mas a maioria dos preços nas etiquetas são marcados em dólares. Para compras com as outras moedas, cada lojista fará sua conversão na hora, o que pode ser prejudicial para o seu bolso.

Se possível, leve seu dinheiro em real e faça a conversão para dólar no Paraguai, evitando o IOF sobre câmbio do Brasil. Casas de câmbio como a Chaco, Mundial Câmbios e Maxi Câmbios podem ser encontradas em Ciudad del Este.

Atravessando a fronteira via Foz do Iguaçu

Você terá diversas opções para chegar em Ciudad del Este saindo de Foz. De todo modo, será preciso cruzar a Ponte Internacional da Amizade, o que pode ser feito a pé ou em algum veículo.

Travessia de carro

Para cruzar a fronteira com o Paraguai de carro próprio ou alugado, você precisará do Seguro Carta Verde. É um seguro para veículos que viajam entre países do Mercosul e cobre danos materiais e corporais causados a terceiros (não cobre os danos causados ao veículo).

Como o fluxo de automóveis na Ponte da Amizade é intenso, é provável que enfrente congestionamentos. Para evitar tudo isso, considere estacionar seu carro em Foz e atravessar a fronteira a pé. Há diversos estacionamentos próximos à fronteira, com preços únicos para o dia todo.

Travessia de ônibus

Para fazer a viagem de ônibus, uma alternativa é pegar um dos veículos circulares que saem do Terminal de Transporte Urbano (TTU) e atravessar a ponte a pé. Outra opção é a linha internacional, que passa ao lado do TTU e cruza a ponte até o Paraguai (desça na primeira parada após a ponte). O custo do ônibus internacional é cerca de R$2 a mais que do ônibus circular. Mas se houver congestionamento na ponte, é melhor você descer e seguir a pé.

Travessia de táxi ou transporte contratado

Se não quer se preocupar, outra opção é contratar um táxi ou transporte semelhante. A distância entre o centro de Foz e o centro de Ciudad del Este é aproximadamente de 7 km, logo, os preços não serão tão altos. Melhor ainda se for possível dividir o valor com outras pessoas.

Outra opção é contratar os serviços de uma agência de viagem. O veículo da companhia fará sua travessia de ida e volta, além de poder lhe indicar atrações e lojas confiáveis. Tudo vai depender do quanto você pretende gastar para cruzar a fronteira.

Retornando ao Brasil pela fronteira com o Paraguai

Como funciona a fiscalização

A fiscalização na alfândega é feita por amostragem: os fiscais selecionam ao acaso um grupo de pessoas e veículos que estão atravessando a ponte, para inspeção. Será necessário listar todos os produtos tributáveis adquiridos e seus valores, então peça e guarde as notas fiscais de tudo o que comprar. Se você não possuir os comprovantes, o fiscal irá supor os valores dos produtos declaráveis, baseado em produtos similares na internet.

O que é e o que não é taxado

Não são taxados: livros, folhetos e periódicos, bens de uso e de consumo pessoais do viajante, desde que apresentem condição de usados.

São taxados: produtos novos, embalados ou que não sejam de uso ou consumo pessoais, produtos eletrônicos novos, bebidas e fumo. Todos podem ficar isentos da tarifa se respeitada a cota para isenção de bagagem.

Segundo a Receita Federal, máquinas fotográficas e celulares são considerados bens de uso pessoal. No entanto, como a viagem para Ciudad del Este normalmente dura apenas um dia, entende-se que não houve tempo para que eles apresentem condição de usados. Sendo assim, eles também são taxados.

Cota para isenção de bagagem

A cota de isenção é o valor máximo que a soma dos seus produtos declaráveis pode ter para você não pagar imposto sobre importação. A cota de isenção para via terrestre é de 300 USD.

A Receita também estabelece um limite para a quantidade de itens do mesmo tipo que podem ser trazidos da viagem. Assim, mesmo que o valor total esteja dentro da cota, o número de itens deve obedecer os seguintes limites:

  • 12 litros de bebidas alcoólicas;
  • 10 maços de cigarros com 20 unidades cada;
  • 25 charutos ou cigarrilhas;
  • 250g de fumo;
  • 20 unidades, não mais que 10 idênticas, de bens com valor menor que 5 USD;
  • 20 unidades, não mais que 3 idênticas, de bens com valor maior que 5 USD.

A cota para isenção é pessoal e intransferível. Você não pode dividir o valor de um produto entre diferentes cotas ou somar diversas cotas para se beneficiar da isenção. Além disso, produtos que causem dependência química ou física não podem integrar bagagens de crianças ou adolescentes, mesmo quando acompanhados pelos pais.

Imposto sobre importação

Se a soma dos seus produtos ultrapassar o valor da cota de isenção, é cobrada uma taxa de 50% do valor excedente à cota. Ou seja, se a soma dos valores dos seus produtos for 500 USD, o valor do tributo será de 100 USD (50% dos 200 USD que ultrapassam a cota de 300 USD).

Se não fizer a declaração e for descoberto pela fiscalização, seus produtos serão apreendidos e você receberá uma multa, podendo até responder criminalmente. Os produtos que ultrapassem os limites quantitativos também serão apreendidos.

Agora que já sabe tudo o que precisa, você já pode cruzar a fronteira com o Paraguai tranquilamente. Se gostou das nossas dicas, siga a gente nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas novidades. Estamos no Facebook, no Twitter, no Instagram e no YouTube!